sábado, 20 de abril de 2019

Resenha - Misto Quente de Charles Bukowski


Misto Quente é um romance de formação lançado em 1982 e que para mim, é o primeiro livro de Charles Bukowski que todos os que querem conhece-lo, devem ler. 

Digo isso, porque em Misto Quente, o leitor conhecerá Chinaski, que é considerado o alter ego de Bukowski. Esse romance se passa entre a infância e início da fase adulta. Ou seja, vem desde a crise de 1929 dos EUA,  até o início da segunda guerra mundial.
Esse livro é fantástico, pois mostra de forma crua e às vezes dolorida, como era a infância, adolescência do velho Buk. Digo fantástico, porque através dele, os leitores passam a entender os motivos que levaram Bukowski a ser como era.

Não se lê palavras bonitas, aquelas frases de efeito comuns. Não. Definitivamente, Misto quente nos mostra uma escrita simples, crua, direta e que, a cada página virada, não sabemos se vem uma porrada de leve ou um gancho de direita.  Percebemos que a vida nunca foi um mar de rosas. Mesmo porque, tendo um pai que lhe dava surras frequentemente, às vezes sem motivo algum e tendo uma mãe extremamente submissa, Chinaski cresceu rodeado de problemas pessoais, brigas nas ruas, as malditas espinhas e também, podemos notar certa carência.

A cada página, vamos conhecendo e por vezes, sentimos até pena da forma que ele vivia. Em outras, temos vontade de dar “uns cascudos” e ensiná-lo a ter modos e em outras, chama-lo e dar uns conselhos e porque não, dar um pouco de atenção a essa pessoa bastante sofrida.

Costumo dizer que é muito difícil definir Bukowski. Porque ele não é somente aquela pessoa bêbada, vagabunda e briguenta que muitos acham. Buk tem outro lado, um lado mais sofrido, um lado onde ele pede socorro e ninguém entende. Um lado onde ele apenas espera por um afago verdadeiro. Misto quente mostra isso, e nas entrelinhas, vamos descobrindo várias coisas do velho Buk.

Assim como recomendo Misto quente para os leitores de primeira viagem, recomendo também o documentário Born Into This. Assista o documentário e depois comece a ler os livros, tenho certeza que a experiência será muito melhor.

Deixo aqui alguns trechos do livro para que vocês possam degustar antes de ler o livro.

“A violência que ele exalava aniquilava por completo qualquer coisa. Ele era todo orelhas, nariz, boca, eu não podia olhar em seus olhos, havia apenas seu rosto vermelho e enfurecido.”  Pág: 43

“Eu sabia que se gritasse  talvez o fizesse parar, mas por ter consciência de que era justamente esse o seu desejo, eu me segurava.” Pág: 43

“ Em grande parte, creio eu, recebíamos pouco amor de nossas famílias e não pedíamos  amor ou gentileza a quem quer que fosse..” Pág: 100

“ Desde que algumas pessoas haviam me dito que eu era feio, sempre preferi a sombra ao sol, a escuridão à luz....” Pág: 104

“ Eu normalmente ficava em frente ao espelho, sozinho, me perguntando qual era o limite da feiura que uma pessoa podia atingir...” Pág: 150

“ Não valia a pena confiar em nenhum outro ser humano. O que quer que fosse preciso para estabelecer essa confiança, não estava presente na humanidade...” Pág: 158

“Você precisava de amor, mas não o tipo de amor que a maioria das pessoas costumava dar e no qual se consumiam...” Pág: 184



Se você já leu Misto Quente, deixe sua opinião aqui nos comentários. Grande abraço e boa leitura.




Seja o primeiro a comentar ;)

Postar um comentário

  ©Sonífera Ilha - 2007/2019 - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo